HORÁRIOS

TEMPORARIAMENTE
ENCERRADO

O Porto Heart Center localizado no coração da Casa de Saúde da Boavista é, conjuntamente com a Clínica de Cirurgia Cardiotorácica e a UNILABS cardiologia, o centro de referência do tratamento da doença cardíaca e vascular.

O PORTO HEART CENTER é uma unidade de grande diferenciação clínica e científica ao serviço dos doentes com patologia cardíaca vascular e estrutural.

PROCEDIMENTOS DISPONÍVEIS

INTERVENÇÃO CARDÍACA ESTRUTURAL

Na maioria dos casos a primeira escolha para tratar a doença da válvula aórtica é a cirurgia cardíaca. No entanto para alguns doentes esta solução pode ter contraindicações e ser demasiado arriscada. Nestes casos a TAVI | Implante Transcatéter de Válvula Aórtica, pode ser uma opção a considerar.

O procedimento consiste em introduzir através de uma artéria periférica, femoral ou subclávia, uma válvula colapsada que se expande quando chega ao coração. Este procedimento é efetuado através de cateteres colocados em uma ou mais artérias e geralmente com anestesia local e uma sedação ligeira.

A equipa da Clínica de Cirurgia Cardíaca e Torácica CSB e do Porto Heart Center introduziu pela primeira vez na prática privada do norte do país este tipo de intervenção.

A cirurgia cardíaca convencional é na maioria dos casos a primeira escolha para tratar doenças da válvula aórtica, como é exemplo o caso da estenose aórtica. No entanto para alguns doentes esta solução pode ter contraindicações e ser demasiado arriscada. A TAVI | Implante transcatéter de válvula aórtica, pode ser uma opção a considerar, mas nem sempre, por razões anatómicas, é possível faze-lo. Também para estes casos existe uma solução: o implante transapical de válvula aórtica.

O procedimento consiste em introduzir através de uma muito pequena incisão no tórax, 2 cm, uma válvula colapsada que se expande quando chega ao coração. Este procedimento é efetuado através de um cateter e pode ser efetuado com anestesia geral ou com local e sedação ligeira.

Na maioria dos casos a primeira escolha para tratar as doenças da válvula mitral é a cirurgia cardíaca. No entanto para alguns doentes de muito elevado risco, esta solução pode ter contraindicações e condicionar maus resultados. Nestes casos o Mitraclip, pode ser uma opção a considerar.

O procedimento consiste em introduzir, através de um cateter colocado numa veia, um “clip” que reduz a insuficiência mitral. Este procedimento é efetuado geralmente com anestesia local e sedação.

Durante o desenvolvimento embrionário existe uma comunicação entre as 2 cavidades cardíacas, a aurícula esquerda e a aurícula direita. Com o nascimento essa comunicação (buraco ou forâmen) encerra-se. Em alguns casos o forâmen mantem-se aberto, patente, e pode em certas situações ser necessário proceder ao seu encerramento.

O encerramento do forâmen oval patente faz-se através de um cateter colocado numa veia e fazendo deslocar um dispositivo de encerramento até ao foramen. Este procedimento é efetuado geralmente com anestesia local e sedação.

A fibrilação auricular é uma arritmia muito frequente. Esta arritmia causa a formação de coágulos (trombos) sanguíneos que podem embolizar e originar acidentes vasculares cerebrais (AVC). O modo habitual de tratar este problema é e medicação com anticoagulantes como o varfine ou outros de nova geração. Alguns doentes não toleram ou tem contraindicação para estes fármacos.

Como a maioria dos trombos se origina numa estrutura do coração chamada apêndice auricular esquerdo (AAE), nos doentes com intolerância aos anticoagulantes, existe a possibilidade de o encerrar e impedir a formação de trombos e a sua “largada” em direção ao cérebro.

O encerramento do AAE faz-se através de um cateter colocado numa veia e fazendo deslocar um dispositivo de encerramento até ao AAE. Este procedimento é efetuado geralmente com anestesia local e sedação.

INTERVENÇÃO VASCULAR

Com possibilidade de avaliação imagiológica com Ultrasom Intravascular (IVUS), Fluxo Fracionado de Reserva (FFR) e Tomografia de Coerência Ótica (OCT)

ELECTROFISIOLOGIA

A arritmologia clínica conheceu grande desenvolvimento nos últimos 20 anos. Este desenvolvimento aconteceu à custa da electrofisiologia e de das técnicas de ablação.
Antes do aparecimento da ablação por cateter de radiofrequência, a electrofisiologia era somente o estudo dos mecanismos das arritmias e o tratamento farmacológico era pouco eficiente, se não muitas vezes deletério pela possibilidade destes potenciarem o aparecimento de outras arritmias por vezes piores do que aquelas que pretendíamos tratar.

A ablação por cateter consegue curar, hoje em dia, grande parte das arritmias existentes com muito poucas complicações e com taxas de sucesso muito elevadas. Os procedimentos ablativos são muito bem tolerados pelo paciente e muitas vezes efetuados com anestesia local. Atualmente a nossa atenção concentra-se na fibrilhação auricular, a arritmia mais comum e com tendência a aumentar de incidência a nível mundial.
Na população portuguesa nas suas formas paroxistica e persistente a sua incidência é muito elevada. O tratamento por ablação por cateter é neste caso mais complexo mas possível com métodos sofisticados de mapeamento tridimensional e em Centros com condições físicas apropriadas e com profissionais competentes e com longa experiência como é o caso do Porto Heart Center da Casa de Saúde da Boavista. Quando tratada precocemente é possível alcançar uma taxa de sucesso muito elevada, cerca de 85%, conseguindo minorar as consequências deletérias desta arritmia a médio e longo prazo como é o caso da redução da qualidade de vida, demência vascular, do acidente vascular cerebral e insuficiência cardíaca.

Saiba mais sobre as outras

UNIDADES INTEGRANTES DA CARDIOLOGIA CASA DE SAÚDE DA BOAVISTA

  • ANGIOGRAFIA
  • BIÓPSIAS
  • COLONOSCOPIA VIRTUAL
  • DENSITOMETRIA ÓSSEA
  • ECO-DOPPLER
  • ECOGRAFIA
  • ELETROMIOGRAFIA – E.M.G.
  • MAMOGRAFIA
  • RADIOLOGIA DENTÁRIA
  • RADIOLOGIA DIGITAL
  • RMN – RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
  • SIALOGRAFIA
  • TAC – TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA
  • CARDIOLOGIA
  • CARDIOLOGIA PEDIÁTRICA
  • ARRITMOLOGIA
  • DOPPLER CARDÍACO
  • ECOCARDIOGRAMAS
  • ECG
  • PROVA DE ESFORÇO
  • HOLTER E MAPA
  • TAVI | Implante Transcatéter de Válvula Aórtica
  • IMPLANTE TRANSAPICAL DE VÁLVULA AÓRTICA
  • IMPLANTE DE VÁLVULA AÓRTICA SEM SUTURAS POR MINI-ESTERNOTOMIA
  • MITRACLIP
  • PLASTIA MITRAL POR MINI-TORACOTOMIA VIDEOASSISTIDA
  • ENCERRAMENTO TRANSCATÉTER DE FORÂMEN OVAL PATENTE
  • ENCERRAMENTO TRANSCATÉTERDO APÊNDICE AURICULAR ESQUERDO
  • ENCERRAMENTO POR VIDEOESCOPIA DO APÊNDICE AURICULAR ESQUERDO
  • CORONÁRIA
  • VALVULAR
  • CARDIOPATIAS E DOS TUMORES CARDÍACOS
  • CANCRO DO PULMÃO POR VIDEOTORACOSCOPIA
  • PNEUMOTÓRAX E OUTRAS DOENÇAS DA PLEURA
  • HIPERHIDROSE
  • PECTUS EXCAVATUM

COMO CHEGAR

  • Automóvel

    Acesso pela Via de Cintura Interna (VCI), A28, Constituição, R. Pedro Hispano e R. Central de Francos.

    SERVIÇO DE CONSULTA EXTERNA
    › Rua Pedro Hispano, 923
    GPS -923 N 41.16452º – W 8.63188º

  • Autocarros STCP

    202 – Lóios / Castelo do Queijo
    208 – Sá da Bandeira / Aldoar
    501 – Sá da Bandeira / Matosinhos (Praia)
    507 – Cordoaria / Leça da Palmeira
    601 – Cordoaria / Aeroporto

  • METRO

    Estação Francos
    Linha A Azul
    Linha B Vermelha
    Linha C Verde
    Linha E Violeta
    Linha F Laranja

  • TÁXIS

    Existe uma paragem de Táxis junto à entrada do ATENDIMENTO URGENTE 24.