Consulta de rastreio auditivo neonatal

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

2ª a 6ª-feira
09.00h às 21.00h

O rastreio auditivo do recém-nascido é hoje universalmente aceite como essencial em todas as crianças.

Geralmente não há qualquer indício de que um recém-nascido possa não ter audição. Mas a não deteção da surdez acarreta gravíssimos problemas no desenvolvimento das crianças afetadas. A rápida orientação destas crianças tem permitido, desde 2005, que as crianças nascidas na Casa de Saúde da Boavista, recebam os melhores cuidados também nesta área.
Também as crianças que tenham nascido noutras instituições poderão fazer este rastreio, por otoemissões acústicas, na Consulta Externa da CSB, todos os dias úteis, por marcação.
As otoemissões acústicas são um exame rápido, objetivo, indolor, seguro e fiável. Um médico otorrinolaringologista com vocação pediátrica, avalia globalmente os resultados, a história clínica de todas as crianças e explica aos pais dúvidas que possam existir. O atendimento dos recém-nascidos é, para este efeito, prioritário.

O rastreio auditivo neonatal tem como objectivo a deteção precoce de perdas auditivas, de forma a permitir um diagnóstico precoce que é absolutamente fundamental para uma rápida e adequada intervenção, que se não ocorrer, pode levar a consequências muito graves no desenvolvimento da criança.
Mais de 99% das crianças não apresenta alterações significativas de audição. De facto, esta perda auditiva significativa afecta apenas 1 em cada 700 crianças. É por este motivo que a generalidade dos países europeus tem por objectivo o rastreio universal da surdez, isto é, faz a avaliação da audição com meios sofisticados, fiáveis, rápidos e sem riscos, à generalidade das crianças.

O rastreio auditivo neonatal deve ser, idealmente, realizado antes da saída da maternidade. Porém pode ser realizado até aos 30 dias de vida. Só desta forma se consegue obter o diagnóstico até aos 3 meses de idade e intervenção adequada até aos 6 meses de idade.

O nosso programa de rastreio auditivo neonatal é realizado com otoemissões acústicas e complementado com impedancimetria de alta frequência (1024 Hz), quando indicado.
A repetição destes exames é necessária com alguma frequência um mês após o primeiro exame e pode, eventualmente, ser conveniente realizar outros exames, como Potenciais Evocados Auditivos do Tronco Cerebral (PEATC) ou outros testes para completar o diagnóstico.